Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada no Estado do Paraná

Imagem
Imagem
Imagem

Histórico de Lutas

Garantir e conquistar melhores condições de salário, saúde e qualidade de vida, bem como atender e resolver os problemas que afetam os trabalhadores da construção pesada do Paraná. Foi com essa missão que foi criado o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do Paraná, o Sintrapav, uma entidade que já tem muitas histórias de lutas e conquistas para contar. A trajetória do Sintrapav começou a ser traçada em 1986, quando um grupo de trabalhadores se reuniu e fundou a Associação dos Trabalhadores da Construção Pesada de Curitiba e Região Metropolitana. Seu primeiro presidente foi o Sr. Jorge Gomes de Oliveira. Na segunda metade da década de oitenta, a conjuntura econômica, social e política do Brasil e do Paraná eram extremamente desfavoráveis aos trabalhadores. Os altíssimos índices de inflação devorara os salários e o arrocho esmagava a classe trabalhadora. Diante desse cenário, a categoria da construção pesada teve que se reorganizar e unificou a luta em todo estado. Em março de 1990 foi deflagrada a greve dos três mil trabalhadores da barragem da Usina Hidrelétrica de Salto Segredo, no município de Candói. A partir deste movimento foi desencadeada uma série de outras paralisações, fator decisivo para a celebração da Convenção Coletiva de Trabalho. Mais do que a CCT, esse movimento reivindicatório foi fundamental para a transformação da Associação Profissional no Sindicato Representativo da Categoria. Em 06 de novembro de 1990, diante da concessão da Carta Sindical pelo Ministério do Trabalho, surgia o Sintrapav Paraná. Desde então, o Sintrapav organizou a luta por melhores salários e condições de vida dos trabalhadores que construíram as principais obras de infra-estrutura do estado e, com muita dedicação e trabalho, também construíram o desenvolvimento do Paraná. Alguns exemplos são as Usinas Hidrelétricas de Segredo, Salto Caxias, Rosana, Canoas II, Santa Clara e Mauá; além da construção da Ponte de Guaira, do Porto Camargo, da Estrada de Ferro Paraná Oeste, a Ferroeste, do Aeroporto Internacional Afonso Pena. Também foram fruto do labor dos trabalhadores da construção pesada importantes obras nas estradas federais que cortam o estado e também nas concessões rodoviárias, bem como a execução do Contorno Norte de Maringá e do Contorno em Cascavel, entre tantas outras obras de extrema relevância para o crescimento do Paraná. Entretanto, o Sintrapav é um sindicato cidadão e tem consciência que a luta pela transformação da vida dos trabalhadores não é um embate meramente corporativo, entre empresários e Sindicato. Sabe que a disputa de classes, entre o Capital e o Trabalho, é a verdadeira luta a ser travada. Por isso, atua como um Sindicato Classista, ou seja, acredita em um projeto político popular para o país, o projeto da classe trabalhadora. E esse projeto se chama Central Única dos Trabalhadores, a nossa CUT. A decisão de filiar o Sintrapav Paraná a maior e mais combativa Central Sindical da América Latina foi tomada pelos trabalhadores da construção pesada em 1994, com a realização de assembleias de massas nas Usinas de Segredo, Rosana, entre outras. Dentro da CUT, o Sintrapav teve papel relevante na construção e consolidação do ramo da construção e mobiliário através da criação da Confederação Nacional, a Conticom/CUT. Além disso, ao lado dos milhares sindicatos da CUT, o Sintrapav travou importantes lutas que marcaram a história, como a campanha pelo impeachment de Collor, as lutas contra as privatizações do Banestado e da Copel, as manifestações contra a fatídica emenda 3, as marchas a Brasília pela valorização do salário mínimo e pela redução da jornada de trabalho, entre outras. Além disso, o Sintrapav participou ativamente das campanhas que levaram o companheiro Lula à presidência da república, atuando na base, conscientizando e mobilizando os trabalhadores para a mudança de projeto político no Brasil, rumo à Democracia Popular. Mas a mobilização operária não para. Uma luta recente do Sintrapav, em parceira com outros sindicatos da CUT no Paraná, foram as mobilizações e a greve vitoriosa dos mais de 15 mil trabalhadores das obras e manutenção da Refinaria Presidente Getúlio Vargas, a Repar, em Araucária. O que trouxe melhorias salariais e nos benefícios aqueles trabalhadores. Por todas essas batalhas travadas, hoje o Sintrapav Paraná é um sindicato de referência em combatividade sindical para o país. Por isso, é preciso prestigiar aqueles que de alguma maneira passaram pelo Sindicato e deixaram sua contribuição, desde a fundação até os dias de hoje, seja através do seu primeiro presidente, Jorge Gomes de Oliveira, e direção da época, até o atual presidente, Adi Lopes Chagas, e direção atual. Só não se pode deixar de registrar e lembrar o nosso saudoso companheiro e amigo Gregório João Lemos Antunes, que hoje já não está entre nós, e a todos que de modo especial ajudaram na construção desse importante sindicato, que luta por condições mais dignas e humanas para os trabalhadores do Brasil.